Tag Archives: dicas

Dia das Namoradas

14 mar

Hoje no Japão é o dia dos namorados inverso. Como assim ao contrário? Eu sei, mais uma desses malucos. Pois é, mês passado foi o valentine’s day, conhecido no Brasil como “dia dos namorados”. Porém, ao contrário do tupiniquim, a data é celebrada um pouco diferentemente. No dia dos namorados, 14 de fevereiro, são as mulheres que dão presentes aos homens. Basicamente chocolate. Nós, garotões, não precisamos dar nada em troca. E isso não vale só para sua namorada, TODAS as mulheres que você conhece te dão ao menos um bombonzinho. Legal né? Realmente, o país dos samurais (ou seja, machista).

Só que, claro, no dia 14 do mês seguinte, hoje, os homens têm que retribuir o favor e presentear TODAS as mulheres que lhes presentearam no valentine’s. Eles chamam a data de White Day. MAS, e isso é muito importante, se você ganhou um simples bombonzinho, vai ter que devolver 3! Ou seja, o triplo. Por isso torça para não ganhar um carro no dia dos namorados, senão você vai ter que comprar um ônibus no mês seguinte.

Os japoneses começaram com essa moda em 78, século passado, e até os dias de hoje a tradição mantém-se firme (droga!). É interessante notar que outros países da Ásia também têm costumes semelhantes, como a Corea e a China.

Eu, como sou uma pessoa muito boa de memória, esqueci completamente da data e fui para a escola sem nada para dar. Encarei diversos rostos ansiosos por seus chocolates e suas mãos estendidas na minha direção. Gomen ne! Prometo que semana que vem eu levo chocolates pra todas! (isso se eu não me esquecer de novo…)

Anúncios

GUIA de APOIO ao BRASILEIRO no JAPÃO

8 jan

O GUIA de APOIO ao BRASILEIRO no JAPÃO é uma espécie de cartilha para pessoas que pensam em vir para o Japão e querem ter uma fonte de informações a mais que não somente as empreiteiras no Brasil, especializadas em enviar mão de obra para o Japão. Além disso contém informações muito úteis e interessantes para aqueles que já estão no Japão, como telefones de agência de empregos, médicos, assistência jurídica e outras coisas. Um link que vale a pena guardar!

Ciente dos inúmeros problemas que enfrentam os brasileiros no Japão, sobretudo na área trabalhista, o Consulado-Geral em Tóquio decidiu elaborar o presente Guia de Apoio ao Brasileiro no Japão, com sugestões emanadas do Conselho de Cidadãos.

Dicas para quase-expatriados

29 dez

Então finalmente você tomou coragem, decidiu-se, comprou a passagem e está de malas prontas para ingressar naquela tão sonhada viagem ao exterior. Fora do Brasil o mundo parece melhor, mais rico, mais fácil de se viver. Novas aventuras, experiências, amizades e tudo mais de bom, certo?

Bem, eu posso dizer com segurança que as chances da sua vida “melhorar” são relativas ao que você considera como melhoria de vida. Eu já havia relatado alguns desgotos que tive aqui no Japão e dito que nem tudo são flores para quem quer viver longe de casa. Há um preço a se pagar, sempre. Portanto antes de embarcar no avião, tenha em mente coisas que certamente vão mudar na sua vida e analize se é isso mesmo que você quer. É importante para que depois a adaptação ao novo lar não seja tão traumática.

Encontrei um texto muito interessante e que me lembrou muito desses problemas básicos que todo viajante/imigrante tem. O autor é Tiago Luchini, um brasileiro que vive na Finlândia. Segue um trecho:

  1. Amigos e familiares efetivamente se afastarão. Não porque são maldosos ou te odeiam mas você passa a estar num contexto e rotinas totalmente diferente deles. É normal que um afastamento ocorra. Com a Internet e as presencas “virtuais” das pessoas isso tende a não ser tão drástico quanto no passado. Mesmo assim, existem simplesmente as pessoas que não tem uma presenca online tão forte além da infinidade de atividades que não podem ser feitas virtualmente. Eu, por exemplo, costumava jogar boardgames semanalmente com meus amigos. Isso não é possível remotamente. Pense também nas limitacões de fuso-horário. Dependendo do fuso você tem apenas poucas horas de janela para conversar com seus amigos e parentes e eventualmente essa janela não é boa para você, para eles ou para nenhum dos dois lados. O afastamento dos amigos é mais difícil do que parece à primeira vista.
  2. Ruptura dos costumes e a adicão de novos costumes. Alguns costumes que você tem hoje não terá mais como fazer e novos costumes surgirão. Parece bobo mas temos pequenas atividades na nossa rotina que nos acostumamos e nem percebemos. Outro dia tive uma vontade louca de comer yakisoba (afinal de contas, fazia do yakisoba uma refeicão bastante regular em São Paulo). Qual não foi minha surpresa ao perceber que ninguém aqui sabia nem o que era yakisoba? Não só isso como o único restaurante que pretendia se dizer “japonês” aparentemente fechou. Pequenos costumes tendem a desaparecer e novos aparecem (tenho apreciado o costume da sauna semanal por exemplo). Sem entrar no mérito se isso é bom ou não, fato é que acontece.

O texto se chama Dicas para Quase Expatriados e é bem interessante, recomendo!