Tag Archives: aichi

家康行列 2008 – ShigueS vira General Samurai

18 mar

Todos os anos na cidade de Okazaki, durante os primeros dias de primavera, acontece um evento peculiar chamado “Ieyasu Parade“. Okazaki é uma cidade de certa importância histórica no Japão por ser o lugar onde nasceu o primeiro grande shogun, Tokugawa Ieyasu, que dominou todos os outros lordes de sua época e unificou o país, trazendo mais de 250 anos de paz, onde a sociedade japonesa cresceu economicamente e, principalmente, culturalmente. É nessa época que foi criada a maioria das artes japonesas conhecidas no mundo todo.

Por esse grande motivo de orgulho, diversas entidades da região organizam anualmente esse evento, que consiste num desfile de armaduras samurais, bandeiras, kimonos e outros objetos usados na época que Tokugawa obteve sua glória. A idéia é reproduzir o mais fielmente possível como foi o retorno vitorioso do shogun depois da batalha de Sekigahara, que selou o destino da nação.

Acontece que as inscrições para esse desfile são super concorridas, uma vez que somente algumas vagas são abertas ao público. Muitas pessoas se inscrevem no intuito de virar um cavaleiro samurai ou uma linda princesa vestida de yukata por um dia. Há um júri, formado por pessoas de importante cargo na região, como gerentes de empresas, diretores de escola, reitores e afins, que decide quem vai ocupar essas vagas.

Virou costume participarem do desfile alguns estrangeiros malucos que gostam de samurais. Parece que tem bakkagaijin disposto de tudo para aproveitar as peculiaridades da cultura japonesa. Bem, adivinha quem se alistou?

家康行列

Aposto que hoje de manhã muita gente da escola pulou da cadeira quando abriu o jornal. Eis que lá está o velho ShigueS com seu sorriso maroto. Na notícia, ainda quentinha, os escolhidos para desfilar vestidos como heróis de guerra do passado. Eu marquei as passagens onde meu nome é mencionado. 2 vezes! Ali diz que Ii Naomasa será “interpretado” por Gabriel Shiguemoto, um brasileiro (!).

Olha aí os bastidores, as crianças competiram para a posição de neto de Ieyasu. Um dos jurados perguntou quais eram as matérias que elas mais gostavam na escola, história foi citada como “chata”. Bom saber que criança é criança em qualquer lugar.

Pois é, o espírito dos meus ancestrais devem estar felizes com tudo isso. Aguardem mais notícias sobre o evento em breve. No dia desse concurso eu fui entrevistado pela rádio e convidado para participar de um programa de tv local. Se eu conseguir os datos eu coloco aqui no blog. Vou caprichar para fazer bonito nesse desfile, com minha armadura vermelha vou brandar minha katana e fazer a maior algazarra. Pode deixar!

Anúncios

O Terremoto Fantástico

29 dez

Eu já havia falado sobre os terremotos japoneses em outro post, mas agora eu encontrei o vídeo que causou  polêmica e levou muitas famílias a ficarem com pavor do Japão e até mesmo largar tudo aqui e voltar para a casa no Brasil. Confiram:

Ainda bem que o javali passou correndo e nada aconteceu né? Aquele lugar no mapa onde o cientista aponta falando “vai ser aqui” é exatamente onde eu moro. Emocionante não?

YAMASA – A torre de Babel

4 dez

Yamasa

Desculpem-me o contra-senso, mas é impossível não associar o Instituto Yamasa com a famosa história bíblica da torre onde todos os idiomas foram criados. O que na verdade não teve nada a ver com torre alguma, Babel era uma cidade-estado extremamente desenvolvida e rica, capital do império babilônico, e por isso recebia grande número de imigrantes vindos de várias partes do mundo, o que causava estranhesa nas pessoas menos informadas da época. Exatamente como grandes cidades, iguais a Tóquio hoje em dia.

Nesse modesto mas vistoso prédio funciona uma das melhores e mais famosas escolas de japonês para estrangeiros que existe hoje no Japão. Seguramente a mais qualificada na região de Aichi-ken, onde eu moro e uma das mais requisitadas pelo seu notório método de ensino. Os cursos para se aprender japonês se dividem praticamente em 2 tipos: o SILAC, que é voltado para quem quer desenvolver a fala rapidamente e não tem muito tempo ou interesse em aprofundar-se na língua escrita, e o AIJP e similares que vão mais a fundo, abrangendo a fala, escrita e leitura corretas do japonês.

front.jpg

E é nessa escola que eu tenho empregado todo meu tempo livre, já que o curso que eu faço tem a duração média de 6 horas por dia, de segunda a sexta, e uma quantidade absurda de tarefas para se divertir em casa. Ainda não contente com tudo isso, eu ainda me inscrevi no programa mais puxado que a escola oferece, tendo um extra de 4 horas semanais de aula. Por isso pessoal, não estranhem meu sumiço repentino. Continue lendo

Castelo de Ogaki

4 fev

Vista da Torre do Castelo

Não é segredo que minha grande admiração pelo Japão vem principalmente do tesouro cultural referente à época feudal, período dos samurais (na verdade eles existiram até a restauração Meiji, em meados de 1800 – embora eu acredite que o espírito deles ainda permaneça quase que intacto até os dias de hoje). Semana passada visitei o Castelo de Ogaki, meio por acaso confesso, enquanto estava passeando com o Guga pela região de Ogaki.

Castelo de Ogaki - Visão Geral

Aproveitamos para fazer uma rápida visita ao museu que o castelo abriga em seu interior. O Castelo de Ogaki foi construído no ano 4 da era Tenmon (1535) por Miyakawa Yasusada e foi designado como patrimônio nacional no ano 11 da era Showa (1936). Durante a segunda guerra mundial o castelo foi destruído pelo bombardeio das forças aliadas, sendo reconstruído posteriormente em 1959.

Castelo de Ogaki

Um fato interessante do Castelo é sua importância histórica para o Japão. Na região onde ele foi erguido, aconteceu a importante batalha de Sekigahara, que acabou por definir os rumos do Japão de outrora. Após a batalha, os feudos foram unificados sobre o comando de um general supremo, o shogum Tokugawa Ieyasu.

Museu dentro do Castelo

Interessante também notar o apreço dos japoneses pela sua história. Dentro do museu, muitas armas, armaduras e utensílios usados na época. Incluindo ilustrações complexas de mapas da região e pinturas dos figurões da casa. Para ajudar a explanação dos fatos, muitos vídeos e muitas maquetes, particularmente belíssimas.

O gigante assusta os pobre camponeses indefesos de Sekigahara

Uma coisa intrigante é a exposição das armas de fogo da época, as grandes vilãs dos fãs dos samurias. O guerreiro empregava sua vida inteira em treinamentos e concentração afim se tornar o soldado supremo, e na hora da batalha era facilmente derrubado por uma bola de chumbo vinda de um lugar distante e seguro.

O covardão com sua “arma”

Se você curte castelos samurai, veja também o post sobre o castelo de Okazaki.