Exposições | John Everett Millais

21 set

Estava eu pendurado no trem indo para a escola quando um dos muitos anúncios me chamou a atenção. Sempre procuro “passar o tempo” da viagem exercitando a leitura dos kanjis, mas nesse caso não precisei de mais de 2 segundos para compreender que havia uma exposição de Millais acontecendo em Tóquio e que eu TERIA que ir.

Exato momento que fiquei sabendo da exposição, linha Sobu sentido Mitaka. Tirei essa foto para poder procurar maiores detalhes mais tarde

Estudei História da Arte na faculdade de comunicação e pintura figurativa sempre esteve em alta comigo. Há os movimentos artíticos mais famosos, como o iluminismo e o cubismo, mas existem muitos deles e é difícil saber diferenciá-los todos. No caso de Sir John Everett Millais não é diferente, seu estilo é reconhecido como pré-rafaelita. Grande mestre da pintura inglesa, começou seus estudos aos 11 anos de idade, após ser aceito na Escola Real de Artes, em Londres. Parece que sua família se mudou de Southampton, interior da Inglaterra, com o objetivo de incentivar o desenvolvimento do prodígio, que já demonstrava enorme talento com o desenho.

O local chama-se Bunkamura, ou Vila Cultural, e é um espaço bem arrejado e que por algum motivo me lembrou Paris, ou ainda centros-culturais europeus (que conheço apenas por fotos infelizmente)

Final de semana seguinte e lá estava eu, feliz e contente, andando em Shibuya com a certeza de ver mais uma fabulosa exposição de arte. Já havia ido na de Rembrandt em Nagóia e sabia que para esse tipo de evento eu precisaria de, no mínimo, 2 horas para ver tudo do jeito que queria, ou seja, apreciando cada detalhe bem lentamente.

Millais era conhecido por sua genialidade provocativa, retatou diversos conflitos entre classes, religiões e sexos. Apaixonado pela natureza, costumava a visitar bosques escoseses em busca de inspiração. Sua obra mais aclamada, Ophelia, mostra quão profunda era o cuidado com detalhes do artista. É dito que nesse quadro Millais fez pela pintura o que Shakespeare fez pela literatura (Ophelia é personagem do escritor).

Christ In The House Of His Parents (1850), esse quadro mostra Jesus enquanto criança na casa de seus pais. A obra gerou muitas críticas por retratar de maneira casual a infância do messias cristão

Não sou crítico de arte nem tão pouco profundo conhecedor, apenas um reles admirador dessas obras que são capazes de tocar nossa alma. Ver um quadro de perto, pertinho, com o nariz quase encostando no vidro, e notar a maneira que o artista espalhou a tinta pela tela é indescritível. Acho que de certa forma mostra o pontencial do ser humano em reconhecer não só o mundo ao seu redor como também o invisível, o sentimento, o intelecto. Uma experiência imperdível!

Clique na imagem para obter informações sobre a exposição (em japonês)

Para saber mais: (wiki) John Everett Millais – inglês

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: