Baladas de Tóquio

18 set

Shibuya é um dos lugares mais badalados da noite na capital, só de ver essa foto já dá vontade de trocar de roupa e ir para lá, não é?

Certa vez ouvi de uma amiga que havia retornado de fora a pouco tempo, a Rê, que as músicas que tocam nas baladas no exterior são diferentes das do Brasil. Algumas músicas fazem sucesso tempos depois, outras não chegam nem a tocar. Não sei quais são as músicas que estão nas paradas das noitadas brazucas, mas aqui no Japão já percebi que há algumas figurinhas carimbadas que não podem faltar em balada alguma.

Fiz uma seleção com as músicas que martelam sem parar na night de Tóquio. Aconselho ouvir enquanto se lê o restante do post. Já aviso que eu curto mais as lentinhas, aquelas que todo mundo dança devagarzinho… sabe?

Vista do 42º andar do mado-lounge em Roppongi-Hills, o supra-sumo das baladas em Tóquio.

Quem me conhece sabe que eu nunca gostei de R&B, aquele estilo musical típico dos guetos negros americanos. Porém, para meu espanto, no Japão só se toca isso. Em todas as festas que fui o estilo Hip-hop e outros genéricos similares dominaram as pistas. Para não dizer que é 100%, geralmente se tem 2 pistas de dança num recinto que se preze: uma para música eletrônica (house, trance, dance e outros que não consigo diferenciar), e outra para R&B (ou, como carinhosamente classifico, música de negão*). Não preciso dizer que as de música eletrônica ficam quase vazias, enquanto nas de R&B não dá nem para entrar.

PORÉM, graças a momentos marcantes na minha vida, aos poucos venho simpatizando com esse estilo que foi feito para dançar, curtir e se divertir muito sem se importar com que pensam os outros. Tudo começou com os hits do Black Eyed Peas, passou pelas musas negras dos vídeos-clipes para, depois, no ritmo da noite, pegar gosto geral pela coisa. Ultimamente tenho ouvido um monte de black music e estou achando demais.

Para fechar o post, um vídeo clipe com uma das minhas músicas prediletas das pistas de dança: Because of you, do artista Ne-yo (até o nome do cara me lembra essa mistura de negro com japa).

Agora, só não esperem que eu vá me encher de correntes e me vestir com roupas que cabem 2 de mim dentro. Ainda virá o dia que eu deixarei meu all-star de lado para usar um air-pump de basquete. Acredito que deva ser um choque para o povo que conhece meu gosto musical, mas eu tenho minhas desculpas. Basta uma ou duas noites aqui para descobrir…

*Antes que me acusem de ser racista ou algo do gênero, saibam que isso não tem nada a ver. Basta ver um clipe qualquer de R&B para ver que só tem negões gigantes balançando aqueles braços marombados. E os negros que moram em Tóquio (sim, e são muitos!) são MONSTRUOSOS, tipo 3m de altura.Os caras metem medo em qualquer pitbull por aí, fora que a maioria deles vem da África mesmo, o que deve torná-los ainda mais fortes (já experimentou comida africana? Eu comi uma vez e passei 3 dias sem precisar me alimentar). Mas se você chegar para bater papo vai ver que a rapaziada é tudo gente boa, muito alegres e amistosos. Isso se você não amolar muito, claro.
Anúncios

4 Respostas to “Baladas de Tóquio”

  1. Caruso 19/09/2008 às 08:37 #

    Maneiro essa sua descoberta e principalmente a sinceridade. Digo isso porque e bem mais facil a gente ver por ai pessoas que sempre marretam o estilo dos outros e nem se dao o direito de conhecer e ver qual eh e, de repente, depois de anos sem gostar, descobrir que a musica nao eh tao ruim assim. Maneiro mesmo, parabens! Sobre a selecao de musicas, nao posso dizer nada, pois estou ouvindo a terceira musica neste exato momento…rs. abs!

  2. Bah 20/09/2008 às 21:47 #

    Oi Gabi! Obrigada pelas felicitações! Estamos super felizes e empolgados, na verdade estamos BEM cansados também, porque além de ter feito a mudança e arrumar as coisas (acho que essa é a pior parte), é aquela coisa, arruma uma coisinha ou outra e faz kyukei de 2hs hehe.. Fora ter que trabalhar (pq infelizmente pra ter tudo isso precisa de dindin rs), mas estamos bem. Sim, esse café está ficando lendário. Precisamos nos ver.

    Ahhh…. que saudades que eu tenho de Roppongi. Sabe, tenho um amigão (que inclusive chamo de primo) que mora em Roppongi. Eu lembro que ficava na casa dele qdo íamos pra balada. Nossa, lá é tudo de bom. E é lá que tem uma loja chamada Romina. Fica em Roppongi Hills. Vende roupas masculinas. Tirei até uma foto um dia pra brincar dizendo que era minha dsadjakdas…
    Beijos

  3. rewx 17/10/2008 às 00:12 #

    como tuh deixou teu blogg desse jeito ai ???

    fico muito bom .. !

    abraço

  4. Maicon 03/02/2010 às 15:35 #

    É claro, vc é branca, sua origem é a musica house, seu estilo nao é hip hop, cada um com seu cada um, eu adoro hip hop, é musica que tem swing, estilo, bom ritmo, e é claro, envolve todo o estilo black de ser, eu adoro hip hop, ta no meu sangue, pricipalmente se vc sabe dançar e pega uma princesa para dançar, é lindo.
    O QUE IMPORTA É O RESPEITO, QUE FIQUE BEM CLARO!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: