O último dia de uma ERA

30 mar

bye

A era das fábricas na minha vida já ERA mesmo! Espero que para sempre. Essas fotos foram do último dia meu como dekassegui na Aisin Seiki . Por desígnio quase que divino eu consegui o trabalho que desde que cheguei no arquipélago estava procurando: trabalho leve, limpo e que acrescenta algo no meu currículo. Mas eu vou falar sobre ele depois.

Eu comuniquei aos empregadores, da fábrica e da empreiteira da qual era funcionário, que havia conseguido um novo emprego e que por isso estaria me desligando. Porém, ao pesar as coisas eu vi que eles haviam me facilitado muitas coisas, talvez por meu irmão ser empregado antigo da empresa. Por exemplo, me colocaram numa posição relativamente leve, num lugar onde não havia muito zangyou (hora-extra) e no mesmo horário do meu irmão, o que é raro de acontecer mesmo entre casais. Por isso não queria deixá-los na mão, saindo assim prontamente. Então resolvi avisar 2 semanas antes que sairia, era o máximo que poderia ficar.

Mas o pessoal ainda pediu para eu ficar mais 1 semana, até conseguir alguém. Então eu falei com meu novo empregador e ele consentiu, “o que é certo é certo” disse ele. E eu fiquei trabalhando normalmente como se não fosse sair, aliás, com um empenho um pouco maior para compensar minha “traição“.

last DAY

Esse é o shokudo, refeitório da empresa. Durante o dia eles servem dois carpádios variados: comida japonesa e comida brasileira. Sugoi né? Mas à noite só tem japonesa. Nada contra, mas nossa comida dá muito mais sustância para trabalhar. Na mesa os loucos que trabalhavam comigo.

Na última semana que trabalhei entrou um japonês para aprender meu serviço. O Toomei, um cara que aparenta ser mais velho do que é, talvez por sempre ter trabalhado em fábricas. Fiz minha parte cultural e ensinei ele a falar “entendi” e “só o pó” para se comunicar com seus novos colegas brazucas. Muito engraçado ver os japas falando gírias brasileiras.

Eu acho que mesmo saindo o pessoal da fábrica, os chefes japoneses não ficaram com raiva de mim., pois me encheram de hora-extra. Mandaram o japa embora mais cedo e me deixavam trabalhando uma ou duas horas a mais todos os dias. No começo eu achei que era o contrário, que era algum tipo de vingança me deixar trabalhando mais. Mas os japoneses pensam diferente, eles gostam de ficar a mais trabalhando. Se sentem importantes e fiéis à empresa. Quando entendi isso senti uma enorme gratidão por tudo aquilo. Mesmo xingando, hehehe.

Por tudo isso, quando bateu o sinal, eu resolvi ir agradecer ao chefe pela oportunidade e tudo mais. E foi muito engraçado pois ele ficou tão sem graça que não sabia nem onde enfiar a cara de vergonha. Os japoneses, pelo menos os da fábrica, têm muita dificuldade em lidar com emoções. Expressá-las ou recebê-las é sempre uma confusão para eles. O Guga disse que os japoneses trabalham 10 anos na fábrica e de repente, de um dia pro outro, não aparecem mais. Não falam nem até logo. Por isso eles estranham comportamentos assim. Não sei se é verdade, pode ser um caso isolado, só sei que aconteceu comigo.

De qualquer me despeço dessa vida, que não é fácil, mas é muito digna. Não posso reclamar do que tive na fábrica, pois lá aprendi muita coisa. Principalmente a suportar a vontade de largar tudo e voltar pra casa. Fiz muitas amizades e aprendi a ser mais humilde (um pouquinho só). Agora estou dando um passo para o escuro, mas na direção certa! O futuro é de quem luta por ele, certo?

Anúncios

7 Respostas to “O último dia de uma ERA”

  1. Denise 31/03/2007 às 01:05 #

    ow menino, vc tá engordando rápido, hein? Cuidado! Quanto a vergonha dos japas, é verdade! Lembro que quando fui me despedir (com beijinhos!) dos chefes todos queriam desmaiar de vergonha, mesmo assim se esforçaram e me deram abraço, e presentes, como é o costume! Vc podia ter dado presente tb! Japa que é japa só sabe se expressar com presentinho! Meu pai que o diga! rs

  2. Karen 31/03/2007 às 19:36 #

    T_T

  3. Daniel 31/03/2007 às 22:51 #

    Opa!!
    Emprego novo?? Sinal de Boas notícias!!
    Fico muito feliz por estar progredindo!!!
    Muita força pra vc aí primo!!!
    Estou esperando as novidades desse novo emprego!!
    Um forte abraço!!
    Daniel

  4. Eiko 05/04/2007 às 00:46 #

    Aê Gaburieru-san!!!! Atarashii shigoto no koto wo kiite watashi wa sugoku ureshii desu!

    Atarashii otsutome de gambatte kudasai!!!!

  5. Alessandra 11/04/2007 às 20:00 #

    ehhh!!! Parabéns pelo novo emprego!!!
    Estou torcendo aqui por vc!!!
    Bjos
    AlêCoragem

  6. Diego 04/05/2007 às 16:24 #

    Put@kiôp@#iu!
    Que 10!
    Fico mto feliz em saber disso, cara. Nossa!
    Mais uma barreira transposta em poucos meses!
    Q legal!
    Já tive de trampar em algo nada a ver, só pra me manter em busca do meu sonho e sei como isso é importante e sofrido, mas com vc bem disse, é mto digno!
    Parabéns cara, tenho certeza q daqui pra frente as coisas vão melhorar mais e mais e vc vai “estourar” rapidinho ae. Pode apostar!
    Mto sucesso ae, e continuamos na torcida aqui.
    ps.: continua escrevendo no blog, tá mto legal! entro sempre q posso e fico lendo e imaginando sua cara nas situações…rsrs (é melhor passar por isso na pele do outros, né?) hahaha
    Abração,

  7. Anônimo 19/10/2014 às 11:31 #

    cara trabalhei na fabrica de nishio na linha do baritori da 2 litros meu irmão tambem (tio chico)trabalhou e meu primo tambem (eid cabeção)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: