Arquivos de tags: japão

Aos pés de Gundam

31 ago

Sabe aquele olhar de criança quando vê um boneco do seu personagem de desenho animado favorito pela primeira vez? Naquela tarde era só isso que se via nos olhos de centenas de pessoas na exposição do robô gigante Gundam, em Odaiba, ilha artificial de Tóquio.

IMG_0967

Contemplem o que uma empresa japonesa de brinquedos pode construir

Não importa se você conhece ou não o famoso robô-soldado criado no fim da década de 70, não há quem não admire a imponência de um boneco de 25 metros de altura. E eu estando no Japão, não tive como deixar de ir conferir essa maravilha do mundo otaku (nerd). Afinal, que outro lugar do mundo isso poderia acontecer?

Gundam_esmaga

O famoso personagem da linha de brinquedos Gundam, da Bandai, completou 30 anos. Em comemoração várias empresas, juntamente com a prefeitura de Tóquio, organizaram um mega evento para celebrar e promover o mais que famoso robô (dê uma volta por Akihabara que você entenderá). A festa também serviu para conscientizar as crianças (mesmo das de mais de 40 anos) de que é importante ter paz e proteger a natureza. Isso vindo de um robô militar do tamanho de um prédio me soa como um bom conselho a se seguir.

Esse vídeo mostra bem como era o clima do evento

O melhor é que o evento foi de graça. Sim, nem um mísero iene foi cobrado para poder olhar de boca aberta o herói da infância de milhões. E havia shows ao vivo, exposição de fotos, brinquedos e comida! Claro que isso você tinha que pagar, mas não era um preço abusivo.

ShigueS leu Gundam há mais de 10 anos atrás(!)

ShigueS leu Gundam há mais de 10 anos atrás(!)

Definitivamente um dos melhores eventos que fui esse ano. Pena que ontem foi o último dia para ver o Gundam. Quem perdeu, perdeu. Agora só no próximo aniversário. Se no de 30 já fizeram um robô pra lá de convincente, no de 40 eles vão fazer o robô andar e soltar raios laser dos olhos!!!

this_is_JAPAN

A noite é que começa o show!

Todas as imagens, incluindo o vídeo, foram produzidas por Shigues. ; )

Curiosidade: Odaiba é uma das muitas ilhas artificiais do Japão e sua base foi construída de LIXO. Apesar de toda sujeira por baixo da ilha, Odaiba é considerada “cool” e abriga muitos hotéis de luxo e prédios suntuosos (fora escritórios de design). Eu pensava que era uma maravilha do mundo moderno, mas na verdade foi construída em 1853!

Se quiser ver fotos tiradas com uma câmera de verdade por um fotógrafo de verdade, acesse esse link.

Festival Cinema Brasil 2008

24 set

Há pouco mais de 1 ano atrás, enquanto trabalhava na região de Aichi numa editora, recebi um envelope promovendo um evento que acreditei ser uma ótima idéia: O Festival Cinema Brasil. Lembro de ter aberto um largo sorriso enquanto pensava “Poxa, é isso que nós, brasileiros, temos que fazer. Mostrar nossa cultura para os japoneses e demonstrar que não somos apenas apertadores de parafusos!“. Infelizmente não pude ir prestigiar o festival, que teve lugar no Fórum Internacional em Tóquio, pois onde morava anteriormente ficava longe da capital e a viagem custa uma pequena fortuna. De qualquer forma tentei promovê-lo com um post nesse mesmo blog.

O Festival Cinema Brasil 2008 traz como destaque O Cheiro do Ralo, com Selton Mello. Clique no poster para acessar o site oficial

Esse ano, a partir do dia 10 de outubro, a quarta edição do evento acontecerá em Omotesando Hills, um dos mais badalados centros comerciais de Tóquio, localizado em Shibuya, meu bairro preferido!

Também será comercializado um livreto de programação com mais de 100 páginas contendo informações sobre os filmes, entrevistas com os atores e diretores, além de muitas curiosidades sobre o Brasil e a cultura tupiniquim. Tudo escrito nos idiomas português, inglês e japonês! Ótima idéia para propagar informações do meu país entre os demais povos.

<< Clique na imagem para ver uma amostra on-line do conteúdo!

Além dos longas, o festival mostrará também curtas-metragens, videoclipes e até mesmo animações produzidas por artistas brasileiros. Também virão à Tóquio Paulo Betti, diretor do filme “Cafundó”, e Francisco Ramalho Jr, diretor de “Canta Maria”, para um bate-papo com o público japonês.

Maiores informações e detalhes sobre o conteúdo da mostra podem ser encontradas no site oficial do evento. Para tentar adiantar o trabalho, abaixo estou postando uma tabela com os dias e horários dos filmes. Vamos prestigiar o cinema nacional e ajudar nossos diretores e artistas a serem reconhecidos dentro e fora do país!

Vagões para Mulheres – Eles existem!

1 mai

Num dia qualquer, depois de um árduo despertar, eis que me encontro parado na plataforma de embarque a esperar meu trem como de costume. Sem novidades ele chega LOTADÍSSIMO com japas saltando pelas janelas. Como eu pego o sentido bairro-centro na hora do rush eu sempre me estrepo para entrar nos vagões. Não tenho muita intimidade com os japoneses para entrar já encoxando a galera na maior (ao contrário deles).

Como sou muito atento, não reparei no singelo adeviso dizendo “Mulheres Apenas” na plataforma. Pior que como estava escrito até em inglês nem deu pra disfarçar e fazer aquela cara de “mas eu não entendo kanji!”

Bem, eis que nesse belo dia, como todos os outros, estou a procurar uma brecha para entrar no trem. Na hora que ele vem parado eu aproveito para ver qual porta está menos estufada de gente, e encontro. “Opa, um vagão quase vazio!” logo pensei mal contendo a emoção.

Além do sutil adesivo de 2x3m rosa-choque colado em frente a porta do trem eu também não notei que só haviam mulheres por todos os lados (talvez tenha pensado que ainda estava sonhando) 

Todo eufórico da corrida para pegar o vagão premiado, fui adentrando no recinto sagrado feminino sem me dar conta que era o único homem ali. As mulheres gentilmente se desviaram da entrada permitindo minha rápida entrada e acomodação em um dos apoios do trem. Notei alguns olhares curiosos de algumas moças, mas pensei que devia ser meu charme aterrador que lhes despertara a atenção. Isso durou 20 segundos.

Enquanto me encontrava no paraíso muçulmano tentava decifrar o adesivo em minha frente escrito em japonês, a frase “Não perdoe os maníacos” me chamou a atenção que algo não estava harmônico na minha presente situação

De repente, foi como naqueles filmes onde todas as peças se encaixam subitamente, resolvendo todo o mistério da trama. Flashes de memória mostravam o adeviso pink escrito “apenas mulheres“, os estranhos olhares a mim dirijidos pelas moças, mais adevisos pink pelo vagão onde estava, a imagem do maníaco da impressão a minha frente… tudo fez sentido e eu entrei num breve choque para depois saltar às pressas para fora do vagão antes que a porta se fechasse. Puts! Que vexame!

Esse é o trem que pego num dia “tranquilo”. Não é de se estranhar que tenha tantos ataques de pervertidos, o bate-coxa é praticamente impossível. Por isso na hora de embarcar procure ficar perto das japinhas ter muito cuidado!

Eu já tinha ouvido falar desses vagões exclusivos, mas nunca tinha visto de verdade. Como agente ouve muita lenda hoje em dia, eu só acredito vendo. Pois é, aí está uma prova real que eles existem mesmo. Estou falando dos pervertidos japoneses, claro. Se não houvessem tantos casos não precisaria ter um vagão assim.

Aliás, é por isso que até os celulares japoneses emitem um efeito sonoro bem alto e característico quando batem foto. Imaginem um estrago se um desmiolado armado com um celular com câmera 5.1 megapixel embutida do tamanho de um maço de cigarros numa estação do metrô?

Gostaria de deixar claro que essa foto foi tirada apenas para carácter ilustrativo e não faz parte de um acervo de imagens voyeuristas que coleciono.

Watashi no Itiniti – Meu dia

30 abr

Esse é meu primeiro post ilustrado, fazia tempo que estava querendo fazer algo assim. Fiz nos intervalos entre uma impressão e outra, caneta bic. Espero que curtam!

徳川家康行列 2008 – Um dia de samurai

29 abr

Essa foi a experiência mais emocionante que tive no Japão até agora, foi um sonho de infância realizado! Não consigo nem descrever como foi legal vestir uma armadura de verdade e desfilar em meio a um exército samurai “quase legítimo”, isso por que haviam alguns samurais falsificados no meio.

Continue lendo

Shigues goes TOKYO!

3 abr

Não sei se alguém percebeu a mudança no blog, principalmente na foto do header. O novo visual é para comemorar a nova fase da minha vida: TOKYO! Agora minha nova e definitiva casa no Japão (se Deus quiser).

Shigues goes TOKYO!

Não dá pra descrever a sensação de finalmente poder dizer que moro na capital japonesa. Para mim é a realização de um sonho que começou lá na tenra idade, enquanto assistia à Spectre Man e outros seriados japoneses como Jaspion sempre mostrando Tóquio como o centro do Japão e do mundo. Depois com animes, mangás e toda aquela tralha que criança adora martelando na minha sub-consciência a fascinação pela metrópole só aumentou.

Oficialmente moro em Tóquio desde o final de março, no momento em que escrevo esse post completa-se exatamente 2 semanas que vivo na metrópole, estou adorando poder andar pelas ruas e ver gente de novo. Apesar de ser paulistano e estar acostumado com trânsito, metrô lotado e multidões nas ruas todas as manhãs, fico maravilhado com todo o movimento daqui. Realmente há muita gente indo e vindo, estima-se que 8 milhões de pessoas vivam dentro da área metropolitana de Tóquio. Nesse total soma-se ainda 2,5 milhões de transeuntes que vêm à cidade, estudantes e trabalhadores assalariados em sua maioria.

Outra grande novidade é que estou de emprego novo! Depois de viver com o cinto apertado por 6 meses no interior do Japão, eis que posso agora colher um pouco dos frutos desse esforço com um bom serviço. É uma empresa de telefonia e o cargo é na minha área de formação. Poderei dar continuidade à minha carreira como designer e de quebra ainda vou continuar com os estudos da língua japonesa.

A Brastel é uma empresa formada em 1996 por dois nikkeis brasileiros e que atende o mercado de telefonia voltado à estrangeiros vivendo no Japão e em mais de 10 outros países no mundo todo.

Por conta dessa novo estilo de vida e rotina os posts estão meio curtos e mais escassos (ainda). Peço desculpas a todos e prometo que estarei me esforçando para relatar todos os acontecimentos marcantes dessa nova fase da Viagem.

Não percam nos próximos posts: COMO É VIVER EM TÓQUIO! Acordar, pegar metrô, trabalhar, comer, sair e, é claro, se divertir!

Shigue Suando

23 mar

Essa semana foi toda para os preparativos do Desfile que farei no dia 06 de abril. Quando me inscrevi para participar do dito cujo não imaginei quantas coisas eram necessárias para assumir o cargo de samurai. O pessoal da cidade de Okazaki leva a parada super a sério e fazem tudo com o afinco japonês. Depois de discursar para o prefeito e um monte de gente influente, agora tive que encarar os treinos de montaria a cavalo, cerimônias e ensaios.

Na quinta feira fui com Sakai-san (o senhor que organiza o desfile faz muito tempo) numa espécie de hipódromo. Não sei qual é a palavra certa, mas o lugar ficava afastado da cidade e tinha um cercado onde se podia praticar cavalaria. Bem aconchegante por sinal. Tomamos chá e eu pude explicar com meu nihongo torto que estávamos no ano do centenário da imigração e eu estava participando do desfile com muito orgulho disso tudo.

O salão do hipódromo - um lugar aconchegante para tomar um bom chá e apreciar as montanhas de Okazaki.

Os japoneses ficaram espantados quando montei, para eles é muito raro ver alguém que já tenha tido tal experiência. Como minha mãe é mineira, sempre íamos ao interior passear e eu, como todo moleque pentelho, adorava brincar com os cavalos. Duro foi explicar isso para os senhores que me assistiam, acho que eles entenderam que no Brasil andar a cavalo é normal! Talvez por que lá seja tudo mato mesmo. (Há muitas pessoas que pensam assim)

Fazia algum tempo desde que montei pela última vez, no Brasil, um pouco antes de embarcar para o Japão. Fiquei com receio de que os cavalos japoneses tivessem temperamento diferente dos mineiros. Como eu não queria dar vexame no dia da parada resolvi aceitar o convite e ir praticar por alguns minutos. Sem susto: o montar é exatamente igual aqui também (pelo menos para mim, que sou leigo). Eu consegui até correr, mas eu queria mesmo era empinar o cavalo!

ShigueS tem sangue Samurai nas veias!

No domingo de manhã, fomos todos nós, participantes principais, participar de uma celebração pela paz mundial dada no templo que fica ao lado do castelo da cidade. Ali assisti a uma sessão religiosa muito interessante, provavelmente xintoísta. O monge entoou orações pedindo pela paz no mundo e pelo sucesso do desfile. Ao final tomamos um pouco de saquê e ganhandos pequenos amuletos para trazer sorte.

Depois disso fomos a um hotel nas redondezas para o desjejum. No lobby havia recém-casados que estavam trajados com a tradicional vestimenta de casamento japonesa, muito bonita. A noiva com seu enorme chapéu branco apontou para nós como quem reconhecia algum artista de televisão. Subimos alguns andares e adentramos uma sala com uma mesa elegante, onde estava servido o almoço. Comida típica japonesa!

Nem preciso dizer que estava uma delícia. Claro, tem gente que não gosta de sushi e frutos do mar, mas a culinária japonesa é considerada umas das melhores do mundo e eu concordo. Haviam vários executivos da Mitsubishi Motors no almoço. O cargo de honra do desfile, Tokugawa Ieyasu, foi oferecido para um dos diretores da empresa na região. Na fábrica que ele dirige faz-se carros e turbinas do boeing 747. Foram todos mundo gentis todo o momento, na despedida eles nos presentearam com miniaturas de carros da Mitsubishi.

Depois de se estufar com a comida fomos levados até o centro esportivo de Okazaki, local que já estive em diversas ocasiões por conta dos treinos de aikido. Até encontrei meu sensei e meus colegas de treino por lá e pude me despedir. Havia uma placa apontando “participantes do desfile Ieyasu” que segui, entrando num enorme salão. Ali grande parte dos participantes estava se preparando para seguir o roteiro, tudo muito bem planejado, obviamente.

O evento vai contar com mais de MIL participantes! Incluindo crianças pequenas, mulheres e idosos. Vamos percorrer 4km pela cidade em plena primavera durante aproximadamente 2 horas, culminando no castelo onde teremos uma celebração e fogos de artifício ao final. Meu lugar, como Ii Naomasa, será à direita do Shogum durante todo o evento, no final brandaremos sacando nossas espadas samurai. Eu acho que vai ser muito divertido!

Fora eu, mais 5 ou 6 alunos da Yamasa irão participar do desfile. Quem tiver a oportunidade por favor não perca. Será no dia 6 de abril, domingão, às 13h na estação Higashi Okazaki da Meitetsu! Venham ver o ShigueS pagar mico de general samurai e não esqueçam suas câmeras fotográficas. Depois me mandem fotos, por favor!

Obrigado YAMASA

21 mar

Hoje foi meu último dia como aluno da escola Yamasa. Não teve aula, pelo menos para as outras classes. A classe M teve 2 horas de revisão das expressões estudadas nas últimas semanas, afinal nosso professor foi Hikosaka-sensei, um adorável e paciente tutor sempre a esclarecer as mais absurdas dúvidas do idioma.

Foram 6 meses suando neurônios nessa escola, até minhas entradas no cabelo aumentaram. Sinal do uso de massa cinzenta. A experiência foi fantástica, recompensadora até o último instante. Poder aprender a me comunicar basicamente em japonês em tão pouco tempo e ao mesmo tempo encontrar pessoas de várias partes do mundo foi algo impagável. Tive vários momentos bons e ruins nesse lugar que com certeza vou lembrar por muito tempo.

Mas foi triste, como toda despedida entre pessoas que se gostam é. Mesmo sem ter toda aquela intimidade, depois de tanto tempo passando pelos mesmos apuros todo mundo acaba criando uma conexão de certa forma. Apertar a mão de um colega e ter na mente que o reencontro será praticamente impossível no futuro é de cortar o coração de qualquer um, garanto.

Olha a expressão da galera, no último dia antes de cada um tomar um rumo na vida (e no mundo)

Para essa data especial a escola prepara um “sayonara speech“, discurso de despedida, onde os alunos que estão terminando o curso agradecem à turma e aos professores tudo o que aprenderam no tempo em que estiveram no lugar. As pessoas choram, emocionadas, tanto na platéia quanto no palanque. Digo que aquela impressão de que orientais são frios, que não expressam emoção, é tudo balela! Os mais escandalosos foram os asiáticos, principalmente os professores.

M-class na sua última aula com a sensei-musa Kamiya (centro). Cada pessoa na foto é de um país diferente!

Particularmente não senti tanto a separação, pois ainda vou camelar por aqui algum tempo. E ainda estou inscrito no Desfile de Ieyasu daqui a algumas semanas. Por isso devo retornar pelo menos mais uma vez a Okazaki. Porém as pessoas não vão mais estar por lá, especialmente Hikosaka-sensei, que resolveu tomar outro rumo e encerrou sua última turma, a M, com olhos molhados de lágrimas e uma voz embargada dizendo: “De agora em diante continuem se esforçando nos estudos pessoal, muito obrigado” .

No final, eu com meu sangue latino fui abraçando todo mundo e beijando as garotas no rosto, pro desespero da minha sensei que disse “Acho que esse comprimento não vai fazer sucesso aqui no Japão“. Mas não pude evitar, afinal foi um beijo de despedida, sensei!

Action Figures de Evangelion

15 mar

O blog tem quase 1 ano e ainda não postei nada sobre anime, o que é uma vergonha uma vez que é um dos mais visíveis produtos culturais que o Japão exporta para o mundo. Não sei por quê eu nunca toquei no assunto aqui, mas pretendo me redimir inserindo aos poucos algumas coisas interessantes que for achando pela internet. Até por que eu sou fã de anime, bolas!

Para inaugurar, um post diferente: action figures. Pra quem não é nerd (que devem ser poucos entre meus visitantes já que o Japão é o país mais nerd do mundo) o action figure é a grosso modo um “bonequinho de um personagem de desenho animado”, mas pode ser também de game, filme, quadrinhos e afins. Enfim, um produto de nerd para nerd.

Pra quem gosta, aqui vai um link interessante com algumas bonecas do Neon Genesis Evangelion, um dos clássicos do anime. Se você não conhece, trate de correr atrás por que valhe muito a pena!

Dia das Namoradas

14 mar

Hoje no Japão é o dia dos namorados inverso. Como assim ao contrário? Eu sei, mais uma desses malucos. Pois é, mês passado foi o valentine’s day, conhecido no Brasil como “dia dos namorados”. Porém, ao contrário do tupiniquim, a data é celebrada um pouco diferentemente. No dia dos namorados, 14 de fevereiro, são as mulheres que dão presentes aos homens. Basicamente chocolate. Nós, garotões, não precisamos dar nada em troca. E isso não vale só para sua namorada, TODAS as mulheres que você conhece te dão ao menos um bombonzinho. Legal né? Realmente, o país dos samurais (ou seja, machista).

Só que, claro, no dia 14 do mês seguinte, hoje, os homens têm que retribuir o favor e presentear TODAS as mulheres que lhes presentearam no valentine’s. Eles chamam a data de White Day. MAS, e isso é muito importante, se você ganhou um simples bombonzinho, vai ter que devolver 3! Ou seja, o triplo. Por isso torça para não ganhar um carro no dia dos namorados, senão você vai ter que comprar um ônibus no mês seguinte.

Os japoneses começaram com essa moda em 78, século passado, e até os dias de hoje a tradição mantém-se firme (droga!). É interessante notar que outros países da Ásia também têm costumes semelhantes, como a Corea e a China.

Eu, como sou uma pessoa muito boa de memória, esqueci completamente da data e fui para a escola sem nada para dar. Encarei diversos rostos ansiosos por seus chocolates e suas mãos estendidas na minha direção. Gomen ne! Prometo que semana que vem eu levo chocolates pra todas! (isso se eu não me esquecer de novo…)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 48 outros seguidores